segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Maratona de Curitiba 42K - 20/11/16

Mais um sonho realizado!
Vou fazer um resumão, pois não estou muito a fim de escrever...kkkk inclusive quem tiver interesse me avisa que conto todos os detalhes pessoalmente.



Acordei 2:20h de domingo às 3:10h peguei o carro coloquei o pé na estrada sozinho rumo à Curitiba.
Cheguei lá pouco antes das 5 da matina e dormi mais um pouco no carro até 6:20h quando Cassiba veio do hotel ali de perto. Logo encontramos a Silviane que também já estava lá na casa da mãe dela.
Às 7:15h foi dada largada e desta vez vim focado no objetivo de fazer a prova em 3':30", sem carregar nenhum peso nem maquina fotografica como em outrora.
Até os 30 Km foi relativamente fácil e consegui entender o que é o grande desafio de correr em Curitiba... a altimetria acumulada é pouca e as subidas são pouco ingrímes, porém são constantes e muito longas, chegando em 1,5Km!!!! Parece que sobe um morrinho e no topo em vez de descer já começa outro!!! Hahahaha que Pira meirmão!
Depois dos 34km baixei ainda mais o ritmo e não conseguia esticar nada... assim foi até o final que cruzei a linha de chegada, peguei a medalha e hidratação, entrei no carro e como sempre digo: vim somente para isso, está feito então não tenho mais nada para fazer aqui e vou embora, pois se fosse pra vir passear e almoçar em churrascaria teria trazido a família! hahaha
Então às 13:30h já estava no aconchego do meu lar em Joinville novamente! 





Considerações finais: 
foram muitos treinos, muita dedicação minha e do meu parceiro de empreitada, meu professor e Ídolo Cassiba.
Graças aos nossos esforços e a nossa própria força motriz, as pernas, CONSEGUIMOS!!!
Com todas dificuldades da prova, ainda consegui baixar em 20 minutos o tempo que tinha feito ano passado. Tempo geral e oficial de prova: 3':37"07.

Agradecimentos: 
Clube Esportivo KaVo pelo patrocinio
Cassiba pela companhia desde o ínicio do ano pensando neste objetivo e Suplementação.
Priscila pelos equipamentos.
Marisa esposa do Deni pela confecção da camiseta sob medida.
Principalmente:
Deus por cuidar de mim e manter minha força de vontade em alta sempre.
Até a próxima e Aquele Abraço!!!



sábado, 30 de julho de 2016

Morro Pelado 30/07/16

Hoje partimos para as montanhas aqui no nosso quintal de casa! O Morro Pelado é bem perto, só subir a Serra Tia Chica de carro e caminhar 5,5 kilometros na mata.
Porém é uma trilha pouco frequentada e esta sempre meio fechada com vários caminhos de caçadores e ladrões de palmito.
Pedi para o Jefo me acompanhar e o cara simplesmente fez 10 vezes melhor! Organizou o evento, convidou os amigos do mato, mandou a rota pra todos e se comprometeu em buscar e levar todos para casa com seu carro!!! Caraca que bicho louco...Kkkk afinal cada um mora em canto da cidade...
Bom então às 5:15h a carona passou aqui e depois na casa do Fabinho, Cabelo e Flavio.
Começamos a caminhar antes do dia raiar e logo já estavamos na trilha do objetivo.




Logo encontramos a bifurcação que teriamos que descer à esquerda, mesmo que continuando reto estava mais aberto e apresentavel para os montanhistas de plantão...Kkk
Realmente a trilha é pouco usada por montanhistas e em alguns pontos fica meio confusa ao atravessar o rio várias vezes, mas tendo um guia ou um bom gps nas mãos fica sossegado. 
O local é lindo, com a natureza exuberante em sua mata fechada de grandes árvores. Porém em dias úmidos como hoje, se torna bem molhada, pelas folhas e terreno encharcado com vários pontos de banhados...hahaha teve gente que quase perdeu o tenis por ali! Kkkk





 

O Jefo ia sempre na frente assegurando nossa rota correta. Mesmo com previsão de tempo nublado e frio, o Sol veio nos aquecer e acompanhar também. Que bom!
A trilha vai se mantendo com pequenos sobe e desce, até certo ponto pois não precisa subir muita altitude, visto que já estavamos no alto da Serra, então só na última parte é que subiriamos aproximadamente 400m direto.
E finalmente demos de cara com a pedra gigante! Agora era só apresentar o ponto de acampamento em baixo da pedra para os amigos e voltar para circundar a pedra até a fenda 
maldita para subir até o topo.
Ali na fenda o bagulho fica nervoso! É bem ingrime e tem muitas raízes e pedras pra agarrar e bons escorregões são   comum. É quase uma escalada mesmo, mas algum bom Samaritano colocou umas cordas nas partes mais difíceis.



Pode começar a se agarrar!!!kkk






Chegamos lá no Topo e todos estavam muito contentes e entusiasmados. Cada um ia para um lado para fotografar e conhecer o pequeno cume e poucos pontos de visão.
Fiquei desesperado quando o Fabinho esticou o dedo e perguntou o que era aquele bichinho... era um carrapato na ponta do dedo e quando olhei para o meu braço já tinha um e na orelha tinha outro!!! Ixiiii prá mim acabou a diversão, tenho dois cachorros peludos em casa e não posso de maneira alguma chegar com essas pragas!!! Em outra ocasião anos atrás e outro Morro, levei uns desses para casa na minha roupa e precisei de alguns meses para erradicar esses malditos que faziam ninho nas britas e nos cães...


Castelo dos Bugres






Jurapê


Então tá, fizemos o lanche rápido e em pé mesmo, pois não deixei ninguém sentar no chão para não pegar mais carrapatos, mas todos já tinham algum no corpo também...hahaha 
"E tem gente que não gosta"! Eu particularmente Odeio!!! Os amigos diziam que um bichinho tão pequeno não pode fazer mal pra ninguém...é??? deixa ele chupar um pouco de sangue prá ver como cresce rápido e procria essa maldição! kkkk
Bom então vamos descer pelo mesmo caminho que subimos, ainda bem que a descida foi muito mais rápida apesar da dificuldade do terreno.




Não vão atolar o pé na lama! kkk




Bifurcação


Castelo dos Bugres

Morro Pelado



Chegamos na Rodovia da Serra Tia Chica



A descida foi rápida, porém cansativa, depois descobrimos por que ninguém quer ir lá...

1- Trilha com muita lama 
2- muitos pequenos obstaculos na trilha e banhados
3- a última parte de subir ao topo pela pedra é nível Hard 
4- Malditos carrapatos

Bom, aproximadamente 12:30 estavamos dentro do carro descendo a Serra. 
Jefo fez a via sacra novamente e eu fui o último da entrega. 
Nessa aventura o Jefo se superou e só posso agradecer do fundo do meu coração por tudo que fez e ter nos levado e voltado com segurança desta Montanha tão misteriosa.
Agradeço também ao Fabiano, Flavio e Cabelo por participarem desta jornada.
Até a próxima e Aquele Abraço!!!

domingo, 24 de julho de 2016

Morro da Toca e dos Monos Barra Velha 24/07/16

Conheci o Diego lá de Barra Velha alguns meses atrás. Um negócio bem casual, pois eu vinha para casa de um pedal solo, muito cansado me arrastando na BR 101 quando ele chegou e puxou conversa e tentou me puxar. Mas como sou um cara muito simpático, falei pra continuar pois eu não precisava de ninguém e sabia o caminho...hahahaha bricadeirinha!
Mas realmente ele foi para o lado dele e eu continuei o meu. Depois de algum tempo ele me procurou através do Rodrigo Cemin e combinamos um pedalzinho light como sempre para o Morro das Antenas. Kkkk

Mais alguns meses depois e finalmente conseguindo encaixar nossas agendas para um novo pedal, aceitei o convite do Diego para conhecer melhor a região, os estradões e montanhas de Barra Velha. O Sr. Jeferson não gosta de perder nenhum momento de diversão e aceitou meu convite. Às 5:30h estavamos saindo de Joinville, no pedal claro e não indo até lá de carro como o Diegito sugeriu...hehe
Fazia muito frio (7ºc) e tinha muito vento e serração. Do jeito que a gente gosta! Kkkk




Tudo corria bem, mas antes de chegar no pedágio furou o pneu traseiro do Seco... tudo bem vamos consertar e mandar mensagem pro Diego. Prá variar era um grande arame... hehe e quando estava quase terminando, fui fazer a vistoria nos meus pneus e o da frente estava baixando... que m...kkkk mas era apenas um maldito cabelinho de recape.



Nossa! Cobra Coral!!


Depois das trocas, o cronograma já ficou atrasado... e logo o Sol já mostrou que iria ser quente nesse dia! Em seguida parei no posto Maiochi para pegar água e o Jefo foi indo para encontrar o Diego na Havan.






Passamos por Barra Velha e seguimos em direção à Itajuba, onde largamos o asfalto e partimos pro estradão! Já no começo o Seco precisou encher o pneu, o que pode ser considerado parada para conserto de furo! Hahaha









O roteiro dos Barravelhenses é lindo, cercado de plantações de bananas, criações de gado e plantações de arroz.
A estrada por si é ótima para pedalar com grandes retas e pequenos morros, sem contar com o sossego do local que raramente passava um carro.







Toda região é interligada com o litoral e o interior, portanto tem muitas bifurcações e estradas  laterais. Mas é bem sinalizada com placas de acessos, só precisa prestar bem atenção em cada esquina...hehe.
Depois de uns 47Km de asfalto, quase mais 30Km só de estrada de chão batido, chegou a primeira surpresa do trajeto do Diego... O Morro da Toca! Não é tão grande de distancia, mas as curvas e inclinações que aumentam e diminuem acabam minando a força nas perninhas! Kkkk 
E para ajudar ainda mais um pouco, desce tudo e parte prá subir a Toca 2... a segunda parte da diversão!

Força Nanico!!!! Hahaha


Logo estavamos na bifurcação onde reagrupamos e buscamos algumas informações para seguir para São João do Itaperiu onde iriamos na rodovia em direção a Massaranduba.
Mas antes tinha mais um bom morrinho da pedreira.




Alto do Morro da Pedreira. Rodovia lá no fundo






Bom... finalmente chegamos na entrada da segunda surpresa do trajeto do Diegito... A subida do Morro dos Monos que pode ser observado facil lá da rodovia! Kkkk


É lá mesmo! Pode botar a bunda no selim e pedalar! kkk

Cara do Céu! depois de poucos kilometros já começa a subida! E daí já sabe... é pernas prá quem tem!!! Kkkk o Seco saiu loko pra bater o recorde da subida, eu nem tentei, já joguei as marchas tudo que tinha prá cima e dále giro! hehe o Diego também não estava muito a fim de fazer força e pegou leve.




Força Nanico!!!





Fiz a minha lição de casa, mesmo não sendo muito grande a distancia também, é muito pior que as duas Tocas juntas!!! Hahaha até que foi rápido, pois o bagulho inclina e sobe direto sem muitas curvas! Kkkk subi devagar mas sem parar. Finalmente cheguei no topo e o Jefo já estava lá me esperando com uma cara de moído, pois preferiu fazer muita força.
Mas já estava comendo uma barrinha de proteina e se recuperando prá descida.  Eu nem parei e já desci, encontrei o Diegito no caminho e gritei prá mais rápido! Kkkk

Só o Topo me interessa!!!


De volta a rodovia rodovia, precisavamos decidir por onde voltar para casa, visto que agora o cronograma estava bem atrasado e a vontade de chegar antes do almoço em casa já tinha ido embora, pois ali já eram quase 11h da manhã e faltavam aproximadamente 80 km...Kkkk
Então podiamos escolher voltar para São João do Itaperiu, ir em direção a Massaranduba, ambos os lados pelo asfalto, ou pegar um "Atalho" sugerido pelo Deiegão por uma estrada quase a nossa frente pela região de Santa Cruz e sair lá na Balsa manual do Rio Itapocu...



Claro que meu voto foi vencido e fomos pelo caminho mais complicado pelas estradas do interior e que ninguém conhecia direito...hahaha fomos e voltamos algumas vezes, o Sol estava bem forte, o cansaço já tinha tomado conta e agora era só pedalar e rezar para chegar logo no Guamiranga!







Depois de algum tempo por uns 15Km, sem saber direito onde estavamos, chegamos numa bifurcação que pude observar o morro da Fazenda do Salto do Guamiranga. O Jefo queria atravessar o Rio Itapocu pela Balsa, mas teriamos que ir para frente alguns kilometros e depois voltar tudo de novo... paramos numa sombra para dividir um sanduiche que o Jefo ofereceu, pois viu que estavamos cansados e com muita fome! Daí decidimos seguir  pela estrada e atravessar o Rio mais próximo do Guamiranga que faltava uns 15 kilometros, pela ponte pênsil.





Finalmente chegamos no bairro Guamiranga de Guaramirim e paramos no primeiro mercado que encontramos para comer e beber muitas coisas!
Sentamos e conversamos por uns longos 15 minutos e nos despedimos do Diegão que iria dar um tempo por ali e depois voltaria para Barra Velha com sua esposa por ali novamente.

Foto do Jefinha



Foto da Jefinha
Quando chegamos perto da rodovia 280, olhamos um novo loteamento e resolvemos cortar caminho por ali... pena que era impossível atravessar um grande banhado antes da BR...Hahaha então vamos voltar e continuar na rua certa!

Loteamento maldito

Rua correta

Acostamento BR 280
Na BR 280 fizemos a despedida, pois seguiria por ali e o Jefo iria pela Rodovia do Arroz. Dali pra frente, naquela altura do campeonato, já não conseguia pedalar direito e ia do jeito que conseguia.
Mas dali eu já estava em casa e é só trabalhar direitinho o psicológico e tocar o pau!Kkkkk

Reta interminável 280 com vento contra...claro!

Chegando na BR 101! Muito perto de casa agora! (13Km)


Falta muito pouco agora!!!Kkk
Consegui! Cheguei em casa às 14:22h, muito cansado, mas contente por mais um belo roteiro cumprido. 
Agradeço ao Jefo pela grande companhia de sempre por vários anos e ao Diegão pelo convite e bela escolha do trajeto. 
Mais um roteiro maravilhoso que nunca conheceria se não fosse a BIKE na minha vida!
E para completar a minha tarde, precisei recolher e espalhar uma carrada de brita que estava na frente de casa me esperando! Kkkk que maravilha prá fechar com chave de ouro meu dia! 
Foi mais um PERFECT DAY!